Mulheres lideram caminho para a eliminação de resíduos plásticos

128

- Publicidades -

Um grupo de 98 mulheres dedicadas à colecta de resíduos plásticos concluiu o programa de formação de 12 semanas, focado em aprimorar suas habilidades e ampliar suas oportunidades de emprego. A iniciativa insere-se num programa de inclusão económica gerador de emprego apoiado pela Coca-Cola Sabco (Moçambique) SA (CCSM), uma subsidiária da Coca-Cola Beverages Africa (CCBA).

Paralelamente, mais de 10.400 membros da comunidade da Matola-Gare, no município da Matola, província de Maputo, foram educados sobre o impacto benéfico da reciclagem a nível local e global.

O objectivo do programa passa por formalizar uma associação de colectores de plásticos PET (politereftalato de etileno), proporcionar formação nas áreas da saúde e segurança, abrangendo as áreas de recolha, triagem e transporte do plástico PET, competências técnicas e planeamento, liderança, organização e controlo e estabelecer equipas de recolha formais que capacitassem os colectores de PET como proprietários de empresas.

O programa, conhecido como VEM (Valorização e Empoderamento da Mulher), utilizou uma abordagem de comboio-formador para alargar o seu alcance às comunidades.

Adicionalmente, as participantes aprenderam novos usos para as garrafas plásticas, como o cultivo de hortícolas para nutrir as suas famílias ou comercializar nas suas próprias comunidades.

O sustento dessas mulheres é obtido por meio da colecta de garrafas plásticas, que posteriormente são transformadas em flocos de PET. Esses flocos, são transportados para a África do Sul e Índia, onde passam pelo processo de reciclagem.

Como parte das suas realizações, as graduadas receberam equipamento de protecção individual e triciclos especialmente designados para transportar o PET.

Arnalda Armando Manhiça, empresária de 27 anos e mãe de dois filhos, começou a recolher resíduos plásticos em 2021, depois de ter ficado desempregada durante quase dois anos. Começou por trabalhar para outro colector de PET e com o incentivo desse colector, passou a fazer a recolha por conta própria, depois de ter aprendido rapidamente as regras e de querer fazer crescer o seu negócio de forma independente.

Conta que, graças ao programa de formação, compreende agora o maior valor do seu trabalho e descreve a sua parte favorita do curso como sendo “a força que me é dada para fazer o meu próprio negócio”.

Para o Diretor Geral do CCSM, Duncan Wyness, “este programa continua a missão da CCSM de liderar o caminho como uma empresa responsável em Moçambique e alinha-se com os nossos objectivos de desenvolver formas cada vez mais sustentáveis de fabricar, distribuir e vender os produtos da empresa”. “Centrando-se nos nossos pilares da sustentabilidade, gestão de resíduos e inclusão económica, este programa está enraizado na criação de oportunidades que conectam indivíduos e comunidades locais à cadeia de valor da Coca-Cola”, disse o mesmo responsável.

Centrando-se nos nossos pilares de sustentabilidade da gestão de resíduos e da inclusão económica, este programa baseia-se na criação de oportunidades para indivíduos e comunidades locais que os ligam à cadeia de valor da Coca-Cola”.

Alinhado à iniciativa global “Mundo Sem Resíduos” da Coca-Cola, a CCBA está comprometida em colectar e reciclar o equivalente à 100% das garrafas ou latas vendidas até 2030, tornar todas as suas embalagens 100% recicláveis até 2025, ter 50% de conteúdo reciclado nas suas embalagens até 2030 e tornar 25% das suas embalagens reutilizáveis até 2030.

“Queremos tornar a reciclagem mais acessível e atingir 100% de recolha e reciclagem até 2030”, afirmou Duncan Wyness.

No ano passado, o CCBA capacitou directamente 50 mulheres através do programa de formação em Moçambique e através do modelo comboio formador, alcançou um total de 3.034 mulheres.