Absa duplica lucros para mais de 779 milhões de meticais no primeiro semestre

113

- Publicidades -

O Absa Bank Moçambique um dos maiores bancos País, ocupa a 4ª posição na classificação de importância sistémica com 95 pontos, viu seus lucros duplicarem I semestre de 2023, param 779,6 milhões de meticais (US$ 12,23 milhões), segundo as demonstrações financeiras publicadas pelo própria banco.

Na informação, o banco recorda que apresentou um resultado líquido no mesmo período (01 de Janeiro a 30 de Junho) de 2022 de 370,4 milhões de meticais (US$ 5,79 milhões), pelo que o desempenho no I semestre deste ano representa um crescimento homólogo superior a 110%.

O capital social do Absa Bank Moçambique é detido em 98,68% pelo grupo sul-africano Absa, sendo os restantes 1,32% controlados por accionistas minoritários, como atuais colaboradores e outros.

Em 30 de Junho último, o Absa Bank Moçambique apresentava um activo total de mais de 81.810 milhões de meticais (US$ 1.128 milhões), contra os anteriores 66.077 milhões de meticais (US$ 1035.66 milhões), neste caso em 31 de Dezembro de 2022.

Já o passivo total fechou o primeiro semestre deste ano nos 71.896 milhões de meticais (1.032 milhões de euros) – nomeadamente 56.700 milhões de meticais (US$ 888.674 milhões) em depósitos de clientes, o que compara com os 57.065 milhões de meticais (US$ 894.35milhões) no final de 2022.

O Grupo Absa é uma das maiores instituições financeiras de África, com cerca de 38.000 colaboradores, e está presente em 12 países africanos, sendo cotado na Bolsa de Valores de Joanesburgo.

O Grupo possui operações no Botswana, Gana, Quénia, Ilhas Maurícias, Moçambique, Seycheles, África do Sul, Tanzânia, Uganda e Zâmbia, além de escritórios na Namíbia e na Nigéria, bem como presença internacional em Londres e em Nova Iorque.

Em Moçambique, o Absa Bank empregava no final de 2022 um total de 663 trabalhadores e fechou o ano com uma quota de 10% do total de clientes bancários no país e 8,4% dos depósitos.

Ao nível de Grupo o Absa foram apresentados resultados resilientes em um ambiente operacional qualificado de “cada vez mais desafiador”. Conforme as demonstrações financeiras, no I semestre de 2023 face o período homólogo de 2022, o Absa permanece posicionado para o crescimento, com os ganhos principais a aumentarem 2% para R11,2 mil milhões (de uma base alta no ano anterior, já que o forte crescimento da receita de 16% compensou imparidades de crédito 60% maiores.

Segundo a instituição, a franquia bem diversificada do Grupo ajudou a mitigar os impactos nos lucros da crescente pressão sobre os consumidores na África do Sul, que é o maior mercado da Absa. Os ganhos principais na África do Sul caíram 17%, devido às deficiências de crédito elevadas, enquanto os ganhos para regiões fora da África do Sul, conhecidas colectivamente como regiões da África, quase duplicram.

O desempenho subjacente do Grupo durante o período é reflectido por um lucro pré-provisão 16% maior, que é o lucro antes de reservar dinheiro para dívidas incobráveis, impostos e outros itens. O número de clientes cresceu 4% para 11,8 milhões, enquanto os depósitos de clientes aumentaram 11% para R1,2 triliões. As vendas de contas no retalho, aumentaram 23% na África do Sul, com clientes activos em Absa Regional Operations (ARO) subindo 16%.

Ainda na perspectiva de Grupo, o Absa diz que continuou a investir fortemente em tecnologia e que a sua jornada digital gerou valor em toda sua franquia, com a base de clientes digitais do Grupo crescendo nos segmentos retalhista e corporativo. Os clientes activos digitalmente aumentaram 10% para 3,5 milhões.