Absa Bank Moçambique doa 36 toneladas de sabão para apoiar comunidades no combate à Covid-19.

0 43

- Publicidades -


O Absa Bank Moçambique doou 36 toneladas de sabão em barra ao Ministério da Saúde (MISAU) como forma de medida de prevenção para evitar a propagação da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 


No momento adverso que se está a viver em Moçambique e procurando contribuir para o reforço dos meios que o País tem à sua disposição para que o seu louvável esforço possa produzir ainda melhores resultados no combate à pandemia da Covid-19, o Banco procedeu com a doação de sabão em barra que será distribuído pelo MISAU às comunidades mais carenciadas a nível nacional, numa iniciativa que espera abranger mais de 72 mil famílias, em todo o País.


Como instituição financeira e membro activo da nossa comunidade, o Absa Bank Moçambique está comprometido a trabalhar com o Governo e demais instituições públicas e privadas na prevenção e combate aos efeitos nefastos da Covid-19 no nosso País.


Esta iniciativa contou com o apoio do Sindicato do Banco, que, no âmbito do cancelamento das actividades de celebração do Dia do Trabalhador, canalizou a verba que se destinaria à efeméride para a aquisição do produto.


A Directora de Serviço ao Cliente, Tânia Oliveira, afirmou, após a entrega dos produtos ao MISAU, que a iniciativa do Banco visa travar a propagação do vírus nas comunidades e mitigar os seus efeitos.


“Temos conhecimento das dificuldades que as comunidades enfrentam, por essa razão lançámos um olhar sobre as famílias que se vão beneficiar deste apoio e prestámos a nossa solidariedade. Contamos com a capacidade logística do MISAU para a rápida distribuição destes produtos entre as famílias e, com eles, a mensagem da necessidade de se precaverem, seguindo todas as recomendações das autoridades de saúde”, sublinhou.


Tânia Oliveira aludiu ainda, as medidas preventivas implementadas pelo Banco, no âmbito do combate à propagação da Covid-19, e apelou a todos a encararem a pandemia de forma responsável, para evitar perdas irreparáveis.


“Entre outras medidas, delimitamos o número de clientes presentes em simultâneo no interior dos nossos balcões para cinco, de modo a evitar aglomerações excessivas que possam implicar maiores riscos de contágio. É importante que estas acções sejam replicadas por todos, pois só assim conseguiremos vencer esta luta”, concluiu.


O Banco reitera também o compromisso perante a sociedade moçambicana de continuar a assegurar a prestação dos serviços financeiros com o mínimo de perturbação para os clientes e a apoiar a economia, quer através da célere operacionalização das medidas aprovadas pelo Estado, quer através de linhas de atuação específicas promovidas pelo próprio Banco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.